quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Os meus Natais

Um post diferente, sem foto, meio que um desabafo:

Eu sou uma pessoa que gosta muito do Natal. Nunca tive um Natal lindo como aqueles das propagandas de peru ou de panetone, mas ainda assim, gosto demais dessa época. Quando era criança, meus natais eram simplicíssimos, íamos pra casa da minha avó e aquela era a minha viagem de férias. E lá, me encontrava com todos os primos (são muitos) e brincávamos a valer. A noite de Natal não era a hora da festa – quando eu era criança íamos dormir no horário normal e quando entrei na adolescência, ia com as primas passear na praça (cidade do interior, sabe?), mas era só isso.

O grande evento era o almoço do dia 25, onde também não tinha nada de mais: frango e leitoa assados, um arroz mais elaborado, uma macarronada, uma maionese, vinho de garrafão servidos em copos de massa de tomate e refrigerante, de sobremesa: pavê. Era isso e era maravilhoso! Como eu me sentia feliz com aquilo, não havia troca de presentes, era muita gente, não daria pra bancar, mas meus pais entregavam o meu presente e do meu irmão antes de irmos pra casa da minha avó. Meu Natal era assim e era bom demais!

Quando eu tinha 15 anos, minha avó morreu, daí se acabaram as festas de Natal, o encanto foi embora com ela. Então, passávamos em casa mesmo, família pequena sabe como é, né, meio sem graça, mas estávamos sempre juntos que era o que importava.

Quando me casei, passei a fazer as festas da noite do dia 24 em casa, achava que seria lindo, pois a família do marido é grande e tal, bom, rapidamente desisti. As pessoas não entendiam a importância daquilo pra mim, da decoração, do cardápio, com isso, eu geralmente terminava a festa frustrada e falida, já que geralmente eu e marido tínhamos que bancar as despesas todas. A noite acabava com um bando de bêbados, gente batendo boca, um horror! Daí, passavam o ano inteiro sem se ver (apesar de morarem na mesma cidade) ou falando mal uns dos outros, pra se encontrarem no Natal, como se nada tivesse acontecido. Não gosto disso, pra mim, não tem isso de que natal é época de perdoar e etc. Se as pessoas me magoaram porque vou fingir que não aconteceu nada? Não sou assim, felizmente ou infelizmente.
Hoje, passamos a noite e o almoço do dia 25 com meus pais, faço uma coisa simples, mas de coração e não tenho aborrecimentos.

Nessas horas, me dá vontade de voltar no tempo e ser criança de novo.

17 comentários:

Coisas de Moças disse...

Oi Cláudia, sobre as jarras, acho que você consegue sim... é só pegar um araminho, aqueles que vendem em casas de artesanatos, bem fininhos, e ir colocando miçangas e enrolando em volta da jarra da maneira como achar meis legal. Eu ja fiz com copos, sabe aqueles de requeijão, fiz um teste e coloquei velas dentro, ficou show também.
Espero ter lhe ajudado.
Beijos

Viviany disse...

Minha mãe sempre fez pavê na casa dela , humm que saudades tbm ... Felizmente , os Natais da minha família sempre foram na casa dos meus pais , com meus avós , tios e primos ... , uma delícia , Desde que casei , a ceia é aqui em casa , tento reunir o maior número de familiares possível , e é sempre uma alegria , só que cada um tras a sua parte , tanto comida quando bebida ...
Bjuss*

Luana disse...

Minha familia não é muito de comemorar o natal, pois pra nós natal é todos os dias, pois tem que haver harmonia e amor sempre. Mas no dia 25 comemoramos sim com um delicioso almoço e nos confraternizamos.
Comemore com a sua familia que está aí todos os dias com vc, eles sim se importam nos deltalhes e arrumações que vc faz.
Não desanime, faça o melhor para aqueles que vc ama e que te amam e reconhecem a sua dedicação nesta data.
Bjokas querida.

Flávia disse...

Claudia,
te entendo.
Para mim foi assim durante a minha infância. Mágico. Muito mágico.
Agora parece um sofrimento conseguir juntar as pessoas.
Na ceia que fiz aqui em casa no ano passado, ouvi de uma cunhada que ela preferia ir para a casa de outra pessoa porque ia ter Papai Noel lá. Dureza, dureza.
Este ano estou "pelejando" novamente, mas acho que vou passar aqui em casa, com meu marido, meus filhos e talvez meu pai (se ele não for passar com a namorada e a família dela). Mas, como eu digo, minha família está dentro de casa, á noite, quando eu passo a chave na porta.
Pena que não são todos que têm amor e beleza no coração.
Mas a harmonia e nossa obstinação é que tornam tudo mágico. Para mim, para você e nossos filhos.
Seus filhos agradecem a mãe sensível que têm.

Vivian disse...

Claudinha, vc tirou as palavras da minha boca. elatou o que acontece por aqui. Porcausa disso, dificilmente passamos Natal em casa, geralmente alugamos casa na praia a partir do dia 23 de dezembro. Todo ano os parentes nos cobram por nao ficarmos, mas todo ano dá arranca rabo e sempre tem aqueles q fazem no máximo uma gelatina com creme de leite errrrrrgh e acham que estao abafando, aí a gente entope com o grosso da coisa. Tbem adoro a decoraçao, mas desisti. Prefiro passar a 3 e ser feliz do que passar com 20 pessoas brigando rs
bjks

Livia disse...

Tomara que tenha cada vez mais gente pensando como você, para, pelo menos nossos filhos, comemorarem o Natal sem falsidade e sem bêbados discutindo no final.... ainda estou tentando criar a comemoração com a minha família, cheia de frustrações também......

Sonhos de Crochê disse...

Até quase metade parecia minha história. Também sou do interior e os natais de minha infância eram do mesmo jeito das suas.Minha avó também morreu, depois meu avô. Numa pequena família de quatro... mas no final da adolescência, como eu já trabalhava resolví fazer o natal. Eram jantares para n´s quatro e duas amigas. Ótimo. Quando nos mudamos pra outra cidade, minha irmã já estava casada e insistí no jantar do Natal. Continua assim até hoje. Jantar, troca de presentes, muita conversa... O do ano passado foi meio tristinho, Mamãe faleceu no dia 02/12. Mesmo assim fizemos o jantar, enfeitamos tudo. Só faltou ela. Vou continuar insistindo pra ter sempre um natal junto deles. Só que últimamente tá dando o maior trabalho. Os amigos e vizinhos querem participar mas... como você falou, parece que eles não entendem esse sentimento que temos, querem churrasco, roupinha normal, muita bebida, som alto... Será que não dá pra fazer o churrasco depois do meu jantar??!!!!!
Ai Cláudia, ficou grande né? Desculpa!!!!!!!
bjs

Casa da Lis disse...

Já tive os bons e os maus. Mas a família do meu marido é grande e o povo se entende. quem é do contra, nem é convidado mais. Mas sei perfeita/e o que vc fala.
Faz pros seus e pronto ! Tbm não sou santa, ne vem com essa q Natal tem q perdoar. que façam por onde antes.
beijos

Lenita disse...

Oi, Cláudia, eu te entendo, amiga, e como... Há muita gente com a história semelhante à nossa, infelizmente. Mas, que bom que você tem uma família legal (aquela que fica dentro da sua casa quando você tranca a porta, de noite). E por ela vale tudo a pena. Não precisa ser rico, não precisa ser farto, o importante é que seja um Natal do seu jeito, com amor! Bjs

Anônimo disse...

....Amiga, a minha história em relação ao natal é semelhante a sua,tenho saudades demais!!!!!!!Beijos.

Amábile - Mãe de dois disse...

gosto do natal e muito , tb faço uma ceia bacana , mais concordo e já exlui da minha convivencia pessoas maleficas e que não dizem nada o ano todo
bj
bom natal

Rosana disse...

Eu, na verdade, nunca gostei do natal em si, nem quando era criança!!! Isso pq, por incrível q pareça, todo natal alguém tinha algum acidente antes ou ficava muito doente lá em casa! Incrível!
Mesmo assim acho lindo decorar a casa pro natal e sempre ajudo minha mãe nisso... adoro toda a preparacao...

Espero q vc tenha um bom natal este ano entao... pelo menos q nao seja chato! hehhee!

Bjos

disse...

Bom se as coisas não sairam do jeito que vc gostaria, com a familia do marido, desencana!
Natal é para estar com a família e em harmonia...tenho certeza que com vc, marido filho...lindo! bom demais!
Os meus Natais quando crianças eram mágicos, com todos os primos e primas, que são muuuuitos (todos na mesma faixa etária!) crescemos e ai não ficou tão magíco, mais muito gostoso!
Agora com os sobrinhos, priminhos etc etc (a nova geração da família)
Até o Papai Noel (que até hj é o mesmo Tio! rsrs) voltou!
Tenho certeza que seu Natal será gostoso tbém!
Muitos bjos da Lú
=D

Paula disse...

Clau, fica triste não...Natal é primeiro dentro do coração da gente, é acordar no dia 25 e dizer, feliz ano novo (é assim que eu faço, meu ano novo é no natal), e ser grata por mais um ano que se passou, com tudo o que ele trouxe.Quanto aos parentes, lembra que Jesus mesmo falou pra gente não dar pérolas aos porcos? Quem perderam foram eles!! Tem gente que não dá valor na família, é uma pena. Quando vier a velhice e ficarem sozinhos, aí talvez se lembrem de como maltrataram os outros. Aí talvez seja tarde... Ânimo, garota. O Natal jea está quase aí, se arrume, ponha uma música bem legal, faça uma mesa bonita, dance com o maridão, e viva a alegria de estar viva e feliz!!
boa semana
Paula

zezel disse...

Ai, Cláudia, seu tópico me lembrou de quando eu achava o Natal a festa mais interessante... O tempo passou, a mãe foi embora, o pai morreu... Acho deprimente agora. Infelizmente. Pra contornar a situação, desde que meu pai morreu fazemos um almoço no segundo domingo do ano e reunimos a família toda.

Beijão e desde hoje, Feliz Natal pra você!

martina disse...

Oi Cláudia, meus Natais são os mesmos desde criancinha...minha família é muito unida, até hoje tem a família toda, tios, primos, cunhados, sobrinhos...mas entendo a tua situação porque na família do meu marido é como vc falou...não tem encanto, no máximo um jantar assim bem artificial..mas como outras pessoas falaram, família é você, seu marido e seu filhote...se existe harmonia entre vcs, já vale muito a pena! Eu que moro longe da minha família penso assim, família sou eu, meu marido e meu filho! As pessoas que nos empurram pra baixo a gente deixa de lado, não é mesmo? Eu acho mesmo é que o Natal está dentro de cada um!!!Beijão!!!

Isabel Cristina disse...

Oi cláudia, estou atrasada, mas gostaria de deixar meu comentário assim mesmo. Quando solteira, eu sempre passei o natal com minha família, aliás, a família do meu pai, tios e primos. Mas de muitos anos para cá nossos natais estão minguando. Depois que minha avó , mãe do meu pai, faleceu, perdeu muito a graça. Minha mãe é avessa a festas ,então passei muitos Natais só com ela em casa. Depois meu pai ficou doente, então foi instituído o almoço do fia 25/12, pois na Noite de Natal cada um passava na sua casa e no dia 25 vinham para a casa da minha mãe. Resumindo, meu pai faleceu este ano, então este ano não teremos Natal e creio que nos outros anos também. Vou passar em casa com meu marido e minha filha e minha mãe, caso ela queira participar. Mas depois que " casei" o Ano Novo sempre passo com a família do meu marido, que é muito grande e animada, sempre alugamos um sítio e vai a família toda para lá. Enfim, não fique chateada, natais perfeitos, poucos têm, e infelizmente, com a morte das pessoas mais velhas, que parecem ser o elo da família, a tendência é tudo se dissolver também. Mas vamos seguindo felizes e tentando refazer outos Natais com as novas famílias que formamos. Beijos